segunda-feira, 15 de junho de 2015

Deixa... deixa assim.

Ah...tão frustrante, tão frustrante!
É como querer abraçar o mundo e deixá-lo cair e quebrar, me deixar decidir e não ter uma linha de partida, querer ser livre e me vê mais amarrada todas as vezes que tento fugir. Tão frustrante, tão frustrante! Esse mundo por trás dessa tela, esses quilômetros de distância, esse rosto que vejo todos os dias mas que só posso tocar quando a sorte me sorri. Tão frustrante, tão frustrante! Ver sonhos e planos se chocando, me irritar, me irritar, me irritar! Ser assim, incapaz, indefeso, impaciente, é tão irritante, tão frustrante!
Mas se eu pudesse, se eu pudesse...iria muito mais longe do que o longínquo ao qual estou habituada. Ah...não fosse...não fosse...não fosse!
Mas deixa...deixa...deixa...deixa assim, como está!