quarta-feira, 7 de maio de 2014

"Eu estou de pé aqui fora na chuva, sentindo-me como um tolo novamente."

Me sinto presa a este medo de nunca mais sentir sua mão segurar a minha,
como uma tola que entrou em batalha sabendo que iria perder.
Esse turbilhão de esperanças e alegrias estavam alimentando a minha alma,
e eu pensei ter sentido o que é a felicidade, mas não, era só mais uma peça
que me pregavam, e eu inocentemente caí.
Quero me desfazer dessas lembranças perfeitas antes que seja tarde demais,
quero me afastar antes de não poder mais levantar, e  preciso chorar agora
todas as lágrimas que pertencem a você, ou não serei capaz de me recompor.
Apostas altas assim jamais deveriam ser feitas. Como um cego fiel eu roguei
para que a eternidade fosse ao seu lado, que a vida pudesse ser mais amena,
já que minha tristeza é absorvida por seus braços, e minha tempestade calada
com seus lábios, e eu estou tão enganada em pedir tanto.
Quando eu passei a ter tanta bravura ao ponto de viajar milhas até achar essa
calmaria? E quando passei a ser tão descuidada ao me doar de todo o coração
novamente, mesmo tendo plena consciência de onde essas escolhas acabam
por me levar?
Que dor fascinante, forte o bastante para arrancar meu planos e sapatear sobre
eles, que pessimismo, mas é o pessimismo mais cheio de certezas que eu já tive.
Tenho o péssimo hábito de achar que no fim tudo ficará bem, mas em toda a
minha existência, antes tive que passar pelo pior, tive que me levantar várias
vezes, chorar incontáveis lágrimas, erguer minha cabeça e assimilar minhas
chances até poder dizer que estava tudo bem, que agora era suportável.
Não vai acabar tudo bem, não é assim que as coisas funcionam quando começam
bem demais. Eu só estou tentando colocar em palavras o que eu não quero que
transborde por meus olhos.
"Para onde eu vou daqui ?"


 Adrenaline Mob - Crystal Clear 


Claro Como Cristal

Eu vejo as ondas em cima da água, em busca de uma razão
Mas eu sei que ele não está lá (sei que não está lá, sei que não está lá)
E assim eu luto com o significado, apesar de todos esses sentimentos
Eu sei que não é justo (sei que não é justo, sei que não é justo)

Então, eu fico acordado, espero e oro
O vazio que sinto por dentro deveria apenas ir embora
Mas é fácil de ver, o que está me matando
Eu percebi que eu não tenho medo de amar você

Apesar de todas as razões, apesar de toda a dor
Eu sei que você estava sempre lá
Através de todas as mudanças de estações, através de todo o bem e mau
Eu sei que você estava sempre lá
Eu simplesmente não podia vê-lo, agora é claro como cristal
Para onde eu vou daqui?

Eu o ouvi ecoar como um trovão
Apagando as minhas memórias, de todo o meu passado
E eu ainda luto com o significado, apesar de todos esses sentimentos
Para dizer quem é a culpa

Então, eu fico acordado, espero e oro
O vazio que sinto por dentro deveria apenas ir embora
Mas é fácil de ver, o que está me matando
Eu percebi o quanto eu realmente preciso de você

Apesar de todas as razões, apesar de toda a dor
Eu sei que você estava sempre lá
Através de todas as mudanças de estações, através de todo o bem e mau
Eu sei que você estava sempre lá
Eu simplesmente não podia vê-lo, agora é claro como cristal
Para onde eu vou daqui?
Para onde eu vou daqui?

Eu estou de pé aqui fora na chuva, sentindo-se como um tolo novamente
Preso à vida que estou levando, sentindo como uma vida amorosa espancada
Não me deixe aqui fora no frio, não me faça andar sozinho uma estrada solitária

Então, eu fico acordado, espero e oro
O vazio que sinto por dentro deveria apenas ir embora
Mas é fácil de ver, o que está me matando
Eu percebi o quanto eu realmente sinto sua falta

Apesar de todas as razões, apesar de toda a dor
Eu sei que você estava sempre lá
Através de todas as mudanças de estações, através de todo o bem e mau
Eu sei que você estava sempre lá
Eu simplesmente não podia vê-lo, agora é claro como cristal
Para onde eu vou daqui?
Para onde eu vou daqui?

sábado, 3 de maio de 2014

"Leave me forever in the dark"

Esse sentimento desconfortável em meu coração que vive a paralisar os meus sonhos,
Essas cicatrizes horríveis que nunca deixam de doer.
Estou em constante questionamento, se fui eu ou se foi o outro, se errei ou tentei acertar em demasia.
Essas lembranças, eu optaria morrer mil vezes se pudesse apagá-las, eu me curaria, renasceria e amaria sem temer as despedidas.
Me arrependo de tudo, de ter vivido o que vivi, de ter conhecido as pessoas que conheci, só me causaram dor e ao olhar para trás só vejo meu esforço desperdiçado e a solidão me acompanhar em cada um dos meus trilhos.
Quisera eu ter ficado mais resistente, mas me sinto tão frágil quanto vidro, e tudo passa por essas minhas paredes transparentes, o silêncio não me salva mais.
Escuridão, desânimo, tristeza, melancolia, dor, traição, perdas, promessas quebradas e esse medo absoluto de me deixar levar por este caminho fantasioso.
Não posso entregar minha alma assim, para mais tarde ser estraçalhada e jogada ao vento, para essa típica má sorte que assola meu coração.
E mesmo depois de tantas pedras, tantas quedas e vontade de parar de respirar ou abrir os olhos para essa dor diária, ainda encontro consolo em  um ser perfeito que talvez possa me jogar em ventos novos e afortunados.