sábado, 24 de novembro de 2012

Propósito.

Não importa para onde eu olhe, como eu olhe, eu não vou achar mais motivos para continuar por aqui. Acho que a vida anda me chamando com mais frequência, minhas responsabilidades   precisam de mim, mais do que meus amigos, infelizmente.
Construí uma vida nesse mundinho digital, encontrei pessoas que talvez eu nunca encontre na vida real, mas que fizeram mais diferença do que todos os que já passaram pela minha vida. Eu aprendi amar sem precisar tocar, aprendi a consolar e ser consolada com palavras, me dei conta de que é mais fácil ser quem eu sou atrás de um teclado do que de palavras que saem da minha boca. 
Eu queria poder dizer que a partir de agora, ficarei bem e que assumirei todo o trabalho que me é imposto, e serei feliz ao conseguir cumpri-lo, que a partir de agora, correrei atrás do meu futuro e lutarei pelos sonhos que eu julgava serem impossíveis, mas eu não sei do amanhã, e ainda assim sei que sou forte, mas isso não me impede de ter medo.
Talvez eu tenha que deixar meus bons amigos para trás, e definitivamente tenha que esquecer tudo que vivi aqui, para o meu próprio bem, devo começar a amar quem está ao meu lado, definitivamente tenho que tomar um rumo diferente, longe dessa tela.
Nostálgico pensar em tudo que eu aprendi, em tudo que passei, no quanto sorri e no quanto chorei por pessoas que eu sequer cheguei a ver pessoalmente. É hora de dizer adeus aos meus fantasmas.
Se eu vou conseguir, eu ainda não sei, mas por agora eu não tenho nada a perder.

Sayounara minna! 


domingo, 18 de novembro de 2012

A linha vermelha rompida.


Dizem que uma linha vermelha é amarrada no dedo mindinho assim que  nascemos, e essa linha encontra seu  outro lado preso ao que seria sua alma gêmea. 
Por uma boa parte da minha vida, acreditei ter encontrado o que se acha no final dessa linha, eu imaginei que não seria capaz de deixar aquela pessoa, e assim como a lenda diz, acreditei que era impossível romper nosso laço, porém lendas são apenas fantasias criadas para ocupar a falta de sentidos para se viver no mundo real, minha linha então se rompeu.
Foi como perder uma parte do corpo, a dor foi bem próxima de uma dor real, creio que nesse dia perdi meu coração. Se me perguntam hoje se eu ainda amo aquela pessoa, eu digo imediatamente que não, o que não deixa de ser verdade. Eu não posso amar alguém que nunca me amou, menos ainda alguém que levou o que tinha de melhor em mim, minha coragem, minha valentia, meu orgulho, cada um dos meus sentimentos, levou minha força e a minha habilidade de acreditar nas pessoas, ele levou meus sorrisos e cada uma das minhas lágrimas.
Eu não amava apenas ele, eu amava o que nos tornávamos juntos. Eu tinha alguém que adorava me irritar e me por os apelidos mais idiotas que se possa imaginar, alguém que me ligava de madrugada para saber se eu já tinha ido dormir, se eu estava bem. Eu tinha alguém para contar minhas tristezas, minhas alegrias e vergonhas, e eu não tinha medo de me expor, porque ele foi e ainda é a unica pessoa que já me conheceu tal como eu sou, sem rodeios e gentilezas. Descobriu que eu consigo equilibrar força e fragilidade, e que eu tenho argumentos inquestionáveis, mas nem por isso ele desistia de me convencer do contrário. Ele sempre sabia o que dizer para parar minhas lágrimas, e ele provocava meus pensamentos, mexia com minhas fraquezas, me fazia baixar a guarda e deixar que ele cuidasse de mim. Só se conhece alguém assim uma vez na vida. Eu ainda rezo para que ele não seja a pessoa certa.
Ele me disse "eu amo muito você", e ainda assim foi embora. Ele disse que jamais me deixaria, e ainda assim me deixou. Ele disse que eu sempre seria a unica que ele iria amar, mas eu não fui. E na sua última volta, me destruiu com simples palavras, "eu tentei te esperar. Era pra ser você e não ela."  Não era pra ser eu... espero que ela seja a pessoa certa, porque tenho certeza de que ela não cometerá meus erros infantis, não se sentirá culpada por um erro que não é dela. Espero que ela não se machuque e espero um dia deixar de sentir tanta raiva dela, por ter me levado a unica coisa boa que eu tinha na vida.
Espero mesmo que eles se vejam todos os dias, que saibam aproveitar a companhia um do outro, e para o bem deles, espero que meu sofrimento tenha servido de sacrifício para a felicidade deles. Espero que ela cuide dele como eu não consegui cuidar, mas eu também espero que ele não a trate como me tratava, e que as mentiras não sejam tão boas. Eu só quero a certeza de que ele estará bem. E no final de todo esse drama, eu espero acordar um dia e não me lembrar desse choro preso na minha garganta e menos ainda de quem o sempre provoca.




quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Creep

Quem se afasta, o faz por escolha e eu não sou do tipo que demonstra se importar, mesmo me importando.