segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Obrigada e adeus.

Dói  ser um e não dois. 
Deixar você ir, ver você decidir.
Por que é sempre assim ? 

Kawaii-chan...

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Sem sono.

Nem mesmo eu acredito na tristeza que se apoderou do meu coração. Sequer consigo dormir. 
Será que eu não vou conseguir prosseguir sozinha ? É realmente obrigatório ter alguém sempre ao lado para se sentir capaz de viver um dia após o outro ?
Quero chorar mas as lágrimas não vêm, quero ficar com raiva mas a culpa não me permite, quero sorrir mas essa angustia abafa minha risada.
Eu não quero me isolar, porque a solidão já não me faz tão bem, e todas as vezes que me encontro deslocada e sem ninguém para prestar atenção em mim, inevitávelmente começo a me sentir dispensável. Eu não pretendia me deparar com o chão de novo, mas cá estou, com os piores sentimentos, com pena de mim mesma, me sentindo rejeitada, me sentindo tão inútil e despresível. Eu não quero ser essa figura sem cor, talvez me manter apenas no canto já não seja suficiente para me auto proteger.
Já passa da meia noite,  e o som do meu  chaveiro batendo contra a parede parece penetrar minha cabeça, misturando-se com minhas músicas depressivas. Depressão é uma coisa que eu não sei lidar, com a qual eu não consigo me deixar entregar. Eu preciso gritar, preciso correr, preciso de uma dor como a de um joelho ralado, qualquer machucado que me acorde, que me traga de volta, qualquer ferida que me distraia por um instante dessa que eu não é física e que não consigo curar.
Pelo quê ainda espero? Dormir sem ter nenhuma perspectiva de melhora para amanhã. Quanto mais eu vivo, mais imprestável eu fico. 
Eu me odeio tanto, eu odeio chorar, eu odeio a minha falta de habilidade para espernear, argumentar com a minha voz. Odeio estar presa atrás das palavras, odeio me reprimir e odeio essa parede que me isola do mundo. 
Eu não sei o que eu quero... sei que não tenho força alguma e que só cheguei até aqui porque sempre tinha alguém me empurrando para frente. É hipocrizia minha achar que posso mudar minha vida, achar que eu tenho a capacidade de mudar o rumo da história. Quem sou eu afinal? Uma fracassada que sente pena de si mesma. 
Eu não passo de uma menina mimada implorando por atenção.


sábado, 13 de outubro de 2012

Eu... que nunca aprendo.


Cansei... realmente cansei. Esperar exige forças que eu não tenho, amar exige uma maturidade que eu não desenvolvi ainda.
Sou do tipo de pessoa que não sabe lutar sozinha, que não gosta de ser o incômodo da história. Cansei de ser um problema!
Fiquei realmente zangada, não quero pensar no esforço que coloquei até aqui para essa história dar certo, menos ainda no quanto eu precisei mudar. Nem sempre é fácil esconder minha cara amarrada.
Em outros tempos eu já teria reclamado, gritado ao céu e à terra. Provavelmente estaria exercendo meu papél de menina mimada que ignora a tudo e a todos. Porém, olha a que ponto cheguei, prefiro fugir, prefiro não admitir a dor que é viver esse inferno de vida em que nada parece dar certo pra mim.
Até quando serei essa desastrada que nunca faz nada direito?
Não espero mais, não anseio mais e encerro meus esforços por aqui.