quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Aumenta o som e coloca ROCK nessa bagaça!!!

To de bom humor!
Eu poderia levantar agora mesmo dessa cadeira pra dançar sozinha no meu quarto! 
Há muito tempo não sei o que é estar viva! 
Um pouco de música alta, adrenalina, raiva e emoções frustradas, é só disso que eu preciso pra me levantar e socar essa solidão hoje!



Eu gosto do meu silêncio




Ahhh... estava indo tudo tão bem... a noite estava tediosa, como sempre, mas eu não estava nostálgica, estava até começando a ficar de bom humor, então você aparece -.-'' e eu penso: "-Nãããooo! Hoje não! Eu não aguento mais ficar baixo astral todas as vezes que você vem falar comigo! Chega! Sem essa de bons amigos."

Eu costumava ser gentil, compreensiva, fofa, meiga e me assumia uma menina sensível, mas hoje? Hoje eu sou isso aí! Um total descaso, um grande "nem aí", e isso é visível até no modo como me visto e prendo meu cabelo.

Não quero impressionar ou fazer alguém cair aos meus pés, não quero ser dependente, não quero cair das nuvens de novo!

Eu não quero que alguém venha cortar as minhas asas, não quero ser pisoteada, não pretendo ser substituída! Não! Eu definitivamente, não preciso mais dessa tristeza e definitivamente, desisto de você e dessas suas indecisões!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Entre você e eu

Melhor me despedir de uma vez... Sei que não faço mais parte da sua vida e tenho que me acostumar com o fato de você não fazer mais parte da minha. Quando penso nisso, imagino o longo caminho que tenho pela frente, imagino o quanto terei que mudar pra poder te esquecer.
As coisas que você me mostrou, a felicidade que eu não conhecia antes de você, a dor que passava todas as vezes que você dizia, "Ma... te amo!".
Ainda não consigo falar de nós sem chorar, ainda não consigo me ver sem você. Desde aquele dia, é como se a "Ma" tivesse optado ficar com você, e parte de mim se mantém vazia desde então. 
Eu não sei cozinhar, eu não sei ser uma verdadeira Lady, eu não sou tão louca e eu não sou tão doce, eu não sou mais aquele ser bipolar de antes, agora sou apenas o lado negativo dos meus pólos.
Eu disse "desisti de você" e você me responde "disso eu já sabia há muito tempo", incrível como você continua enxergando meus disfarces ao invés dos sentimentos que sempre te entreguei de bandeija.
Entre você e eu, silêncio, aquele que em pouco tempo te levou de mim. 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Lágrimas... mais delas.

Meu coração encontra-se tão triste hoje, 
me sinto tão vazia, 
tão imensamente vazia...
Solidão... pra mim estar sozinha nunca foi um problema,
mas preciso de alguém que cuide de mim, 
porque eu sei que toda essa pose não passa de uma 
mentira que me faz parecer forte.
Eu amo, eu sofro, eu choro e como toda menina, eu me faço de tola.
 Preciso achar um chão firme, um apoio, caso contrário, será inevitável
desmoronar.
Pouco a pouco alguém saiu do meu coração, 
Pouco a pouco, um outro alguém tem mantido meus pensamentos presos a ele.
Odeio isso, essa história melodramática, esse círculo vicioso!
Odeio me apaixonar!

Tão sozinho quanto eu... 

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Quando o coração para por três segundos...

Quando a respiração falha,
Quando a alma chora,
Quando o coração para,
Quando você volta e me prova que ainda existe.

Quando contenho as lágrimas,
Quando me faço de corajosa,
Quando me impesso de fugir,
Quando desmorona por dentro e me mantenho firme por fora.

Quando espero pelo oi que nunca vem,
Quando meu orgulho não importa mais,
Quando a dor me faz recuar,
Quando eu espero você ir embora mais uma vez.

*É feliz quando dois são felizes e um se sacrifica?*

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A cura

Hoje eu disse incontáveis vezes que estava bem, que estava feliz e fingi falsos sorrisos. Menti descaradamente sobre meus sentimentos, fingi como uma verdadeira atriz. Afirmei ser o que eu nunca fui, fiz pose de garota forte, xinguei!
Fui a tola, a mascarada, a farsa que eu criei há alguns anos atrás para esconder a verdadeira eu, a que chora, que fraqueja, que se deixa consumir pela dor e não espera por dias melhores.

HOJE EU SÓ QUERO CHORAR...

Tanto Faz

Esse coração não se importa em estar só
Sente-se seguro em sua individualidade
Não teme mais as lágrimas
Não espera por sorrisos
Não acredita em meias verdades

Mãos trêmulas
Respiração pesada
Dor que despedaça a alma
Mentiras que me levaram ao chão
Verdades que me fizeram crescer

E o meu mundo às cinzas retornou
E a minha vida, ao preto e branco voltou
E a minha alegria, foi breve

Preços altos eu paguei
Não me lembro de ter encarado o sofrimento com tanto esforço antes
Não tinha idéia do quão forte eu era
Do quão forte sou obrigada a ser 

Pelo simples fato de não querer mais te querer.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Lord DariuxD ?

Não sei se toda essa cena, retirada de um filme sem roteiro foi baseada na verdade ou em mentiras mal elaboradas, só sei que não quero fazer parte desse elenco, onde eu pareço ser a vilã que separa o belo casal. Mas eramos o casal principal, e você sempre dizia que jamais iria me abandonar, porém sua eternidade é muito breve, você é inconstante e eu sempre fui realista, sempre precisei sentir meus pés firmes ao chão.

 Antes você era o anjo, aquele que estava me levantando quando eu caía, que me fazia ir adiante, que insistia em me fazer ganhar as lutas que a vida me obrigavam a lutar, mas agora, o que você é? O vampiro dela, o Lord Dariux, aquele que suga as minhas forças, que rouba minhas esperanças e espera anciosamente para me ver sangrar. Que tipo de jogo é esse? Eu não sou a droga de um fake,  eu não precisei criar uma fantasia pra conseguir te amar, nunca te vi como o brinquedo ou parte de uma realidade alternativa. Se eu te chamava de anjo, era porque você cuidava de mim  como um, se alguma vez eu menti pra você, foi por covardia e não para alimentar esse teatro escroto. 

Antes tão feliz e agora tão imersa na minha própria dor. Eu não gosto desse personagem que você virou, eu odeio esse seu jeito de falar, na segunda pessoa do singular, isso não é você! Você sempre odiou português, você nunca precisou mudar seu jeito pra me agradar, você era você mesmo comigo. Quantas vezes eu ouvi você dizer que eu te fazia bem porque comigo, você não precisava fingir, conseguia ser você mesmo, mas e agora? Quem é você? A porra de um vampiro? O fantoche de uma garota que pensa viver no século XVIII? 
Talvez seja mesmo melhor abrir mão de você, eu não sei viver de mentiras e não suportaria sustentar esse amor que é sustentado por fantasias.